The Warm Coffee

O derradeiro guia de música e videojogos

Posts Tagged ‘Kele Okereke’

“Smash”, Martin Solveig [2011]

Posted by César Costa em 07/07/2011

Data de lançamento: 6 de Junho de 2011

Género: House, Dance

Duração: 38 min.

Editora: Mercury

Produção: Martin Solveig, Michael Tordjman, Julien Jabre

 

Este tem sido o homem que mais qualidade tem trazido à cena House. O pobre estilo musical lá tem sido abençoado com os rasgos de criatividade deste senhor, que mesmo não sendo um artista por aí além tem sido uma das poucas salvações do género, sem ninguém dar por isso, que é o mais triste. Enquanto variadíssimos artistas reles invadem o cenário das pistas de dança Martin Solveig vem lançando singles que se destacam das demais tentativas de fazer o povo abanar o capacete. Desde “One 2.3 Four” que soube que este seria o artista House a seguir… Com “Smash”, Martin não desilude.

Não se pode esperar de disco House o que se espera de um álbum Rock, aqui não existe a mesma continuidade, temos nada mais que um pack de temas prontos para as pistas de dança, que se calharem de ser azeiteiras o suficiente irão parar as discotecas de hoje em dia. No entanto, se calharem de ter alguma qualidade estarão destinadas à aparelhagem ou ao auto-rádio. Mas mesmo com o estado da música Pop e com os gostos distorcidos do público mainstream, Martin Solveig já conseguiu um par de hits, e com “Smash”, mais umas quantas músicas a ter em conta.

Para começar temos aqui um par de pérolas: “Can’t Stop” é mais uma investida pela pouca música Dance de qualidade com aquela batida a que ninguém resiste e “Boys & Girls” é uma faixa com o cunho característico de Solveig, lembrando bem o seu disco “Hedonist” pelas boas razões. Mas não nos ficamos por aqui, “Ready 2 Go” consegue ser melhor do que a princípio pode parecer, “Racer 21” é um tema mais electro que fica bem ali no meio, “We Came To Smash” usa bem a voz feminina de DEV e o ritmo de “Get Away From You” é chamativo.

Estes são os melhores motivos para provar “Smash”, que se revelou ser um álbum regular e, acima de tudo, divertido. A par de “On A Mission” de Katy B, “Smash” é o melhor álbum para dançar lançado até agora em 2011. Não esperem nada do outro mundo, mas no meio de tanto lixo musical neste género o novo álbum de Martin Solveig é mesmo aquilo que o povo precisa para se mexer ao som de boa música…

  1. "Hello" (with Dragonette)
  2. "Ready 2 Go" (featuring Kele)
  3. "The Night Out"
  4. "Can’t Stop" (with Dragonette)
  5. "Racer 21"
  6. "We Came to Smash (In a Black Tuxedo)" (featuring Dev)
  7. "Big in Japan" (with Dragonette feat Idoling!!!)
  8. "Get Away from You"
  9. "Boys & Girls" (featuring Dragonette)
  10. "Let’s Not Play Games" (featuring Sunday Girl)

Download (mirror de iman24scene.com)

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , , , , , , | Leave a Comment »

“Blue Songs”, Hercules And Love Affair [2011]

Posted by César Costa em 06/02/2011

Cov Data de lançamento: 31 de Janeiro de 2011

Género: Disco, Electronica, House

Duração: 57 min.

Editora: Moshi Moshi

Produção: Andy Butler, Patrick Pulsinger

O primeiro tiro às pistas de dança não desaponta. “Blue Songs” é um bom disco que oferece as canções certas na altura certa. Se conseguirem deixar de pensar nestes temas como simples bandas sonoras de lojas de roupa terão um bom bocado com este álbum já que as músicas são interessantes e estão muito bem executadas.

O trabalho começa numa disposição para dançar, simplesmente começando a noite dando uma data de meras batidas House/Disco, de boa qualidade, diga-se. “Answers Come In Dreams” é talvez a melhor faixa do disco para dançar, o seu ritmo está no ponto e a guitarra ‘funky’ e o baixo ‘à Thriller’ (a semelhança é gritante, no bom sentido) fazem deste tema irresistível. A seguinte “Leonora” também não anda muito longe, apenas é desacelerado o ritmo e no geral é uma faixa menos agitada, mas igualmente boa…

As coisas começam a acalmar em “Boy Blue”, onde apenas ouvimos uma guitarra acústica perdida no meio de uns quantos sons electrónicos… Não é decerto o melhor momento do álbum, mas passa. Até porque o que vem a seguir promete retomar a festa. Com uma data de sons ‘jungle’, “Blue Song” constitui mais um dos pontos altos da obra. Tem uma onda mais ‘chill-out’, bem a preparar o regresso a terrenos Disco.

“Falling” é uma glamourosa faixa Disco que não deverá passar despercebida e “I Can’t Wait” é uma coisa mais electrónica, de novo. Depois aparece o vocalista dos Bloc Party, convidado de honra na faixa “Step Up”. Os vocais de Kele Okereke estão bons e a composição da faixa em si é também aceitável.

No fim temos uma balada, “It’s Alright”, onde a banda reflecte sobre o estado do mundo mas garante que tudo ficará bem pois a “música continua para sempre”. É uma nota final bem optimista para um disco que nada mais tenta fazer senão alegrar quem o ouve. É um trabalho para dançar ou simplesmente ouvir e, de uma maneira ou de outra, terão de o experimentar.

  1. "Painted Eyes"
  2. "My House"
  3. "Answers Come In Dreams
  4. "Leonora"
  5. "Boy Blue"
  6. "Blue Song"
  7. "Falling"
  8. "I Can’t Wait"
  9. "Step Up"
  10. "Visitor"
  11. "It’s Alright" 

Download

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , , , | Leave a Comment »