The Warm Coffee

O derradeiro guia de música e videojogos

Posts Tagged ‘Electro Rock’

“Velociraptor!”, Kasabian [2011]

Posted by César Costa em 22/09/2011

imageData de lançamento: 16 de Setembro de 2011

Género: Alternative Rock

Duração: 51 min.

Editora: Columbia Records

Produção: Dan The Automator

 

Da primeira vez que ouvi “Switchblade Smiles”, na MTV, fiquei chocado. Não só a música era um afastamento completo dos singles mais recentes da banda como o vídeo em si era estranho. Aquilo mais parecia saído de uma colaboração entre Jay-Z e Kanye West, já que esses dois andam bem amiguinhos por estes dias… Mas ouvindo “Velociraptor!” reparo que o som do disco não é bem assim, ao mesmo tempo que é das músicas que melhor espelha a evolução da banda na qual este disco culmina. Confuso? Um bocado…

A faixa inicial “Let’s Roll Just Like We Used To” parece um tema de James Bond misturado com “Paint It, Black” (The Rolling Stones) e o sintetizador mesmo antes do refrão parece aquele posicionado exactamente no mesmo sítio no êxito dos Hall & Oates, “Maneater”. Só eu para reparar nisto, mas é verdade… Esta combinação funciona, a verdade é uma, ajuda a criar uma abertura à altura do álbum que se avizinha.

Depois aparecem duas das canções mais Pop de “Velociraptor!”, “Days Are Forgotten”, um bom single com um refrão poderoso, e “Goodbye Kiss” que parece um encontro de The Beatles com Pulp acompanhado de um “violino” (sintetizador, parece-me) bem giro. “La Fée Verte” vem depois, representando o ponto alto do álbum logo à quarta posição, conseguindo oferecer uma composição recheada, bonita e dramática, ideal para uma canção como esta. A boa letra ajuda, assim como a ‘intro’ magnífica e a ‘outro’ igualmente bem conseguida. Um dos melhores temas dos últimos meses…

Mas “Velociraptor!” chega, depois deste momento muito bom, a um ligeiro declínio, com a faixa título e “ Acid Turkish Bath” a revelarem-se algo insonsas (razoáveis, ainda assim) em comparação ao resto do disco. Mas para remediar a situação e devolver o ‘momentum’ ao disco surge “I Hear Voices”, um exercício mais electro, e “Re-Wired”, um tema tipicamente Kasabian bem ‘cool’.

No fim, aparece “Neon Moon”, o momento mais electrónico do disco, que faz óptimo uso dos sintetizadores e que poderia muito bem pertencer aos Goldfrapp, por exemplo (o que é um grande elogio)… Isto depois de passarmos por “Man Of Simple Pleasures” e “Switchblade Smiles”, ambos possíveis singles, um mais óbvio que outro. (“Switchblade Smiles”, ironicamente)

Em estilo de resumo, “Velociraptor!” transporta a banda britânica para um patamar superior mesmo não sendo perfeito. Aquelas faixas ali no meio, embora de qualidade aceitavel, eram dispensáveis. Ainda assim, e como podem calcular, é um disco altamente recomendado que poderá não ser imediatamente do vosso agrado, mas que crescerá aí dentro se lhe derem oportunidades.

  1. "Let’s Roll Just Like We Used To"
  2. "Days Are Forgotten"
  3. "Goodbye Kiss"
  4. "La Fée Verte"
  5. "Velociraptor!"
  6. "Acid Turkish Bath (Shelter from the Storm)"
  7. "I Hear Voices"
  8. "Re-wired"
  9. "Man of Simple Pleasures"
  10. "Switchblade Smiles"
  11. "Neon Noon"

Download (torrent)

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , | Leave a Comment »

“Infectious Affectional”, X-Wife [2011]

Posted by César Costa em 22/05/2011

imageData de lançamento: 2 de Maio de 2011

Género: Indie Rock, Electro Rock

Duração: 41 min.

Editora: Nortesul

Produção: Nélson Carvalho

A banda dos singles que quer ser a banda dos álbuns volta a atacar com “Infectious Affectional”. E pode-se dizer que desta vez conseguiram finalmente lançar um álbum. “Keep On Dancing” é um grande single tipicamente X-Wife e ficará como mais um hit da banda para a posteridade. “Stay In” e “White Shoes”, no entanto, são outros 2 grandes destaques num álbum que apesar de tudo não deixa de ser regular, algo inédito na discografia da banda, diga-se.

Não arrebentará com nada, aliás, é um álbum bem simples, mas que inclui o bom Rock electrónico que a banda sempre procurou fazer, desta vez num pack de temas mais coeso e nivelado. É estiloso, divertido e dançável (como já á habitual dos X-Wife). Fãs do Rock português devem experimentar e aficionados de Franz Ferdinand também.

 

  1. I Live Abroad
  2. Keep On Dancing
  3. Stay In
  4. Wonderman
  5. Across the Water
  6. Little Love
  7. That’s Right
  8. Take It On Me
  9. Long Distance
  10. Never Ever
  11. White Shoes

Download (mirror de plixid.com)

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , | Leave a Comment »

“Explode”, The Gift [2011]

Posted by César Costa em 16/04/2011

imageData de lançamento: 22 de Março de 2011

Género: Indie Rock, Alternative Rock, Electro Rock, Synthpop

Duração: 62 min.

Editora: La Folie Records

Produção: The Gift

O novo disco dos The Gift vem preparado para a internacionalização. Não que já não a tenham atingido, ela já foi feita ainda que à pequena escala, mas desta vez a banda portuguesa quer mesmo fazê-lo em grande. O som mais electrónico é a prova disso e as influências dos MGMT são também notórias. Isso não é nada mau, bem pelo contrário, já que o grupo não esquece as origens e não deixa de introduzir em “Explode” temas tipicamente The Gift.

Para lá da repetição aparentemente abusiva da primeira faixa ouvimos um certo crescendo que cai muito bem logo no início, a sobreposição de vocais é o grande truque de “Let It Be By Me” e a melodia da faixa em si é bem conseguida. É em “Made For You” que começamos a notar um travo internacional que logo nos apercebemos que vai perdurar até ao fim do disco.

Depois chega o tal single, “RGB”, que diga-se, é das melhores músicas de “Explode”. As parecenças com MGMT podem ser gritantes mas isso não nos devia as atenções do festival de melodia que por ali se passa. A parte final da música é particularmente genial… Para começar a acalmia aparece “Mermaid Song”, que é onde o grupo luso realmente entra pela Electronica adentro e com resultados bem positivos. “The Singles” é a irónica (ou não) faixa do disco e é, já agora, outra grande pérola. Não é por eu adorar músicas grandes, a composição é muito boa e nunca aborrece, algo que é importantíssimo se se quer fazer um tema de 12 minutos. As partes menos mexidas são de ouro e quando os The Gift nos acordam também somos presenteados com bons momentos de música.

A maior prova de momentâneo “regresso às origens” é “Primavera”. O estilo é claramente Gift e a natural predisposição de Sónia Tavares para sentir o que canta faz toda a diferença. A que se segue, “Aquatica”, também constitui um sucesso.

Se as faixas que se seguem não são tão memoráveis elas são certamente tão boas como as primeiras 7. “My Sun” é uma genérica música Synthpop, com mais cheiro a MGMT e “Suit Full Of Colours” é mais do que ouvimos em “Aquatica” (o que não é mau de todo) mas com um final bem mais forte. O disco encerra com “Race Is Long” e “Always Better If You Wait For The Sunrise”, duas faixas perfeitas para encerrar um disco tão bem feito. As contas finais são mais que positivas e o resultado é um dos melhores discos do ano até agora. Poderão não conseguir o reconhecimento internacional que anseiam com este álbum mas já começam a merecê-lo à séria…

  1. Let it be my me
  2. Made for you
  3. Rgb
  4. Mermaid song
  5. The Singles
  6. Primavera
  7. Aquatica
  8. My Sun
  9. Suit full of colours
  10. Race is long
  11. Always Better if You Wait for the Sunrise

Download

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , , , | Leave a Comment »

“Nightingale”, Erland & The Carnival" [2011]

Posted by César Costa em 23/03/2011

imageData de lançamento: 7 de Março de 2011

Género: Folk Rock, Electro Rock, Indie Folk

Duração: 50 min.

Editora: Full Time Hobby

Produção: Erland & The Carnival

Os Erland & The Carnival produzem uma mistura de Folk Indie com esquisitos elementos electrónicos que é, no mínimo, intrigante. Já no máximo… bem, lá consegue arrancar uma classificação de 3,5 estrelas. Não é que as canções sejam alguma coisa de muito especial, são as aventureiras experiências do grupo, que geralmente resultam, diga-se, que fazem com que eu recomende “Nightingale”.

Podem-se aborrecer com ele, podem ficar interessados… é mesmo assim, não posso garantir nada, mesmo. Mas que ele é bom isso é, e como um todo funciona bem. Tem a sua graça e pode agarrar.

 

  1. So Tired In The Morning
  2. Map Of An Englishman
  3. Emmeline
  4. I’m Not Really Here
  5. I Wish, I Wish
  6. This Night
  7. Nightingale
  8. East & West
  9. Springtime
  10. We All Die
  11. Dream Of The Rood
  12. The Trees They Grow So High
  13. Nothing Can Remain
  14. The Ballad Of Egremont (Bonus Track)

Download

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , , , | Leave a Comment »