The Warm Coffee

O derradeiro guia de música e videojogos

Posts Tagged ‘Art Rock’

“Strange Mercy”, St. Vincent [2011]

Posted by César Costa em 04/01/2012

imageData de lançamento: 12 de Setembro de 2011

Género: Experimental Rock, Art Rock

Duração: 41 min.

Editora: 4AD

Produção: Annie Clark, John Congleton

 

Que surpresa de final de ano! Uma belo disco experimental e artístico para “acabar” 2011. O novo disco de Annie Clark é arrojado, cheio de ideias, grande parte delas bastante estranhas, o que só ajuda a formar um som eclético.

Se os Goldfrapp e os Deerhoof se unissem este seria o resultado. Temos a sensualidade de Allison Goldfrapp espalhada por todas as faixas e a maluquice de qualquer artista experimental como os Deerhoof na composição. O grande feito é que estas experiências nunca são exageradas e portanto, para além de ser um álbum fresco, “Strange Mercy” tem um bom som.

Podem adorar ou odiar, é a natureza da música Art, mas o arrojo é irrefutável. Seja por isso ou porque simplesmente tem recebido críticas bastante positivas recomendo “Strange Mercy” a todos.

  1. "Chloe in the Afternoon" 
  2. "Cruel" 
  3. "Cheerleader" 
  4. "Surgeon" 
  5. "Northern Lights" 
  6. "Strange Mercy" 
  7. "Neutered Fruit" 
  8. "Champagne Year" 
  9. "Dilettante" 
  10. "Hysterical Strength"
  11. "Year of the Tiger" 

Download

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , , | Leave a Comment »

“Wars Of The Roses”, Ulver [2011]

Posted by César Costa em 28/04/2011

imageData de lançamento: 25 de Abril de 2011

Género: Art Rock, Ambient, Electronic

Duração: 45 min.

Editora: Kscope

Produção: Ulver, John Fryer

O disco começa com uma violenta música recheada de elementos electrónicos e, pensamos nós, estamos perante uma aventura mais ou menos psicadélica. Os noruegueses enganam-nos logo aqui. O que se segue são faixas Ambient bem negras e pesadas que apesar de soarem muito bem nunca chegam a ser aquilo que o promissor início nos poderia levar a pensar que eram. O trabalho dos violinos em “Norwegian Gothic” é notável, e a veia Art Rock de “Providence” mostra ‘twists’ suficientes para manter as coisas interessantes mas por muito melancólicos que estejamos não será um álbum que marque. “England” e “Island” matam o ‘momentum’ do álbum, embora esta última nos acorde no final com uma secção fantástica de sons rasgantes.

Mas o que realmente nos mantém presos ao álbum é o arrojo da banda… gritante na última faixa. Quase 15 minutos de música ambiente de topo. A voz do vocalista ao longo da faixa pode estragar as coisas para alguns, mas não deixa de até soar bem após habituação. O som de fundo é simplesmente fenomenal, lindíssimo; somos levados para outra dimensão, quase, hipnotizados pela acalmia geral da suave parede de som criada pela banda. Ocasionalmente, e de acordo com o que está a ser dito (com tom de voz distinto, diga-se, estilo Zen), lá ouvimos outros sons que evitam que “Stone Angels” seja um quarto de hora monótono. Longe disso: é uma viagem e pêras.

Mesmo com o abrandamento ali pelo meio “Wars Of The Roses” é um álbum bastante satisfatório. Podia ser bem melhor mas o balanço é muito positivo. Mesmo com todos os reparos que fiz não deixa de ser recomendável

  1. "February MMX"
  2. "Norwegian Gothic"
  3. "Providence"
  4. "September IV"
  5. "England"
  6. "Island"
  7. "Stone Angels"

Download

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , , | Leave a Comment »

“Nine Types Of Light”, TV On The Radio [2011]

Posted by César Costa em 22/04/2011

imageData de lançamento: 12 de Abril de 2011

Género: Alternative Rock, Indie Rock

Duração: 44 min.

Editora: Interscope

Produção: David Andrew Sitek

Os já respeitados TV On The Radio ganham mais notoriedade, finalmente, com o lançamento deste “Nine Types Of Light” e apesar de serem uma banda que é merecedora dessa atenção este novo álbum não é uma maravilha da natureza. Mas também não é uma pedra no sapato, tenham lá calma…

A primeira faixa promete imeeeeeeeenso… O toque requintado do refrão deixa-nos antever uma obra-prima, estatuto que o álbum nunca chega a atingir, apenas dá umas indicações disso em “Repetition” e “Caffeinated Consciousness”… Esses são realmente os pontos fortes do disco, onde a banda consegue, através da sua mentalidade algo Art-Rock, criar pequenos momentos de magia. A faixa de encerramento, uma das melhores como já disse, parece mesmo fora do sítio, no entanto: um tema tão Pop não deveria estar no início? Ainda assim lá vai servindo para acabar com o disco. Sempre se acaba na mó de cima. Os tais momentos mágicos são quase sugados pelo resto das músicas, uma série de canções meramente boas, o que é pena… É satisfatório mas são esses temas que impedem este novo disco de estar num patamar acima.

A cena alternativa ganha aqui mais um bom álbum mas talvez este “Nine Types Of Light” sirva para o público ter a curiosidade de espreitar o restante catálogo da banda. Esse vale mais a pena.

  1. "Second Song"
  2. "Keep Your Heart"
  3. "You"
  4. "No Future Shock"
  5. "Killer Crane"
  6. "Will Do"
  7. "New Cannonball Blues"
  8. "Repetition"
  9. "Forgotten"
  10. "Caffeinated Consciousness"

Download (torrent)

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , | Leave a Comment »

“Tao Of The Dead”, …And You Will Know Us By The Trail Of Dead [2011]

Posted by César Costa em 10/02/2011

folder Data de lançamento: 8 de Fevereiro de 2011

Género: Alternative rock, Progressive Rock, Art Rock

Duração: 52 min.

Editora: Superball Music

Produção: Chris “Frenchie” Smith, Chris Coady

Os arrojados Trail Of Dead voltam com “Tao Of The Dead” e este novo álbum é mais uma boa adição ao catálogo. O estilo ‘avant-garde’ que a banda sempre deteve continua bem presente aqui, é notável a intenção do grupo em oferecer uma experiência diferente do convencional e mais uma vez conseguem. Desta vez o álbum é dividido em 2 partes: as primeiras 11 faixas e a última. A primeira parte é constituida por 11 temas mas todos estão interligados e a intenção da banda era a de criar uma espécie de sinfonia. A música só pára no fim da 11ª faixa e até lá a transição entre temas é quase imperceptível. A segunda parte, a última faixa, “Strange News From Another Planet”, é mais uma sinfonia, de 16 minutos e pouco, tocada num tom diferente do resto do disco.

Aquilo que sempre caracterizou o som dos Trail Of Dead também está presente neste novo lançamento: o vocalista Conrad Keely volta a mostrar por que é um artista completo com as suas inteligentes composições, melodias encantadoras e ideias geniais. A produção está um mimo, tudo soa maravilhosamente e cada instrumento é um deleite para os nossos ouvidos. Existem trechos menos fortes que outros mas os Trail Of Dead e os seus produtores sabem bem como oferecer variedade sem prejudicar a consistência. É um álbum dos …And You Will Know Us By The Trail Of Dead! Tudo dito. Esperem várias investidas de Art Rock, Progressive e até um cheirinho a Krautrock na intro (Kraftwerk, David Bowie), “Tao Of The Dead” é mais uma prova de que a banda tenta sempre soar grandiosa, por vezes de forma desesperada, e consegue na grande maioria das vezes. Não é para todos…

A ousadia habitual da banda continua, portanto, toda aqui, o que é sempre muito bom. Porém… as canções são boas, ninguém se lhes tira, e existem algumas partes muito interessantes, mas não há nada em “Tao Of The Dead” que chegue aos melhores momentos de trabalhos anteriores do grupo como “Source Tags & Codes” ou “So Divided”. Os fãs da banda não devem ir com expectativas muito altas para o álbum, poderão acabá-lo com um sabor agridoce. Todos os outros… devem definitivamente experimentar “Tao Of The Dead”. É o melhor disco para começarem a explorar o catálogo da banda, que é bastante bom, diga-se. Os Trail Of Dead são umas das melhores bandas dos últimos anos no género e com álbuns destes certamente continuarão no topo. Não é o melhor trabalho destes rapazes de Texas mas é certamente um disco bastante bom por mérito próprio e que no final de contas acabará por crescer em vocês se o ouvirem umas quantas vezes. Altamente recomendado!

  1. “Introduction: Let’s Experiment”
  2. “Pure Radio Cosplay”
  3. “Summer of All Dead Souls”
  4. “Cover the Days Like a Tidal Wave”
  5. “Fall of the Empire”
  6. “The Wasteland”
  7. “The Spiral Jetty”
  8. “Weight of the Sun (or the Post-Modern Prometheus)”
  9. “Pure Radio Cosplay (Reprise)”
  10. “Ebb Away”
  11. “The Fairlight Pendant”
  12. “Strange News From Another Planet”:
  13. “Know Your Honor”
    “Rule by Being Just”
    “The Ship Impossible”
    “Strange Epiphany”
    “Racing and Hunting”

Download

image

Posted in Reviews Música | Com as etiquetas : , , , , , , | Leave a Comment »