The Warm Coffee

O derradeiro guia de música e videojogos

“Explode”, The Gift [2011]

Posted by César Costa em 16/04/2011

imageData de lançamento: 22 de Março de 2011

Género: Indie Rock, Alternative Rock, Electro Rock, Synthpop

Duração: 62 min.

Editora: La Folie Records

Produção: The Gift

O novo disco dos The Gift vem preparado para a internacionalização. Não que já não a tenham atingido, ela já foi feita ainda que à pequena escala, mas desta vez a banda portuguesa quer mesmo fazê-lo em grande. O som mais electrónico é a prova disso e as influências dos MGMT são também notórias. Isso não é nada mau, bem pelo contrário, já que o grupo não esquece as origens e não deixa de introduzir em “Explode” temas tipicamente The Gift.

Para lá da repetição aparentemente abusiva da primeira faixa ouvimos um certo crescendo que cai muito bem logo no início, a sobreposição de vocais é o grande truque de “Let It Be By Me” e a melodia da faixa em si é bem conseguida. É em “Made For You” que começamos a notar um travo internacional que logo nos apercebemos que vai perdurar até ao fim do disco.

Depois chega o tal single, “RGB”, que diga-se, é das melhores músicas de “Explode”. As parecenças com MGMT podem ser gritantes mas isso não nos devia as atenções do festival de melodia que por ali se passa. A parte final da música é particularmente genial… Para começar a acalmia aparece “Mermaid Song”, que é onde o grupo luso realmente entra pela Electronica adentro e com resultados bem positivos. “The Singles” é a irónica (ou não) faixa do disco e é, já agora, outra grande pérola. Não é por eu adorar músicas grandes, a composição é muito boa e nunca aborrece, algo que é importantíssimo se se quer fazer um tema de 12 minutos. As partes menos mexidas são de ouro e quando os The Gift nos acordam também somos presenteados com bons momentos de música.

A maior prova de momentâneo “regresso às origens” é “Primavera”. O estilo é claramente Gift e a natural predisposição de Sónia Tavares para sentir o que canta faz toda a diferença. A que se segue, “Aquatica”, também constitui um sucesso.

Se as faixas que se seguem não são tão memoráveis elas são certamente tão boas como as primeiras 7. “My Sun” é uma genérica música Synthpop, com mais cheiro a MGMT e “Suit Full Of Colours” é mais do que ouvimos em “Aquatica” (o que não é mau de todo) mas com um final bem mais forte. O disco encerra com “Race Is Long” e “Always Better If You Wait For The Sunrise”, duas faixas perfeitas para encerrar um disco tão bem feito. As contas finais são mais que positivas e o resultado é um dos melhores discos do ano até agora. Poderão não conseguir o reconhecimento internacional que anseiam com este álbum mas já começam a merecê-lo à séria…

  1. Let it be my me
  2. Made for you
  3. Rgb
  4. Mermaid song
  5. The Singles
  6. Primavera
  7. Aquatica
  8. My Sun
  9. Suit full of colours
  10. Race is long
  11. Always Better if You Wait for the Sunrise

Download

image

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: