The Warm Coffee

O derradeiro guia de música e videojogos

“Angles”, The Strokes [2011]

Posted by César Costa em 17/03/2011

imageData de lançamento: 18 de Março de 2011

Género: Alternative Rock, Electrorock, Indie rock

Duração: 34 min.

Editora: RCA Records

Produção: Gus Oberg, Joe Chicarelli, The Strokes

Este álbum parece ter sido lançado a medo. Ainda nem estava completo e já a banda fazia declarações de que ele não estaria nos melhores termos. Mas apesar de erros existirem não há razão para alarme, e se ouvirem o álbum verão que, por vezes, mais vale as Rockstars estarem caladas e limitarem-se a fazer música.

Ainda foi um bom tempo de espera entre “First Impressions On Earth”, o mal amado disco de 2006, e este novo “Angles” e se me perguntarem se valeu a pena a espera… Terei de responder “talvez”. Tudo depende daquilo que cada um espera. Se vão à espera de um pack de boas canções rock ficarão satisfeitos, mas se por outro lado esperam uma obra-prima, um disco rico e coeso ficarão decepcionados.

Na sua essência “Angles” faz um bom trabalho. É bem melódico como já é, aliás, habitual dos The Strokes e portanto a maioria dos temas é bem sumarenta, guitarradas bem soltas e melodias catitas é o que não falta aqui. Além disso, e acima de tudo, Julian Casablancas continua o máximo como vocalista… “Machu Picchu”, Under Cover Of Darkness” e “Taken For A Fool” são típicas malhas Strokes e também há espaço para inovações como “You’re So Right” e “Games”, onde presenciamos a banda a explorar novos caminhos mais electrónicos. E diga-se, esta mistura entre o Rock e a Electronica sempre resultou… Os vocais e a sua sobreposição em “You’re So Right” é divinal e em “Games” é nos oferecido um tema que poderia ter vindo de uma qualquer Lykke Li ou de uns Röyksopp.

Todavia, “Angles” teria mesmo de ter algo errado. E tem. As canções são boas, ninguém se lhes tira, mas o melhor que aqui arranjamos é “Under Cover Of Darkness”, “Machu Picchu” ou “You’re So Right”, não há nada assim de destaque, nada de fantástico que sobressaia. Além disso, e apesar de as músicas não destoarem muito umas das outras, não há uma ligação perceptível ao longo do álbum, mais parece uma mistura aleatória das melhores faixas produzidas nas sessões de gravações, uma espécie de Best Of. Não é nada que incomode muito mas… conta. Até temos direito a um exercício onde a banda quase imita os Muse, “Metabolism”, e ouvindo o resultado não se pode dizer que seja um dos pontos altos do trabalho.

Mesmo não havendo nenhuma música de alto gabarito é a qualidade geral dos temas que faz de “Angles” o bom álbum que é. É divertido, mexido, cool, melódico e acima de tudo traz de volta uma banda da qual muita gente já sentia saudades. É um bom regresso mas para próxima pede-se um maior cuidado na disposição das faixas e na ligação entre elas.

  1. "Machu Picchu"
  2. "Under Cover of Darkness"
  3. "Two Kinds of Happiness"
  4. "You’re So Right"
  5. "Taken For a Fool"
  6. "Games"
  7. "Call Me Back"
  8. "Gratisfaction"
  9. "Metabolism"
  10. "Life is Simple in the Moonlight"

Download (torrent)

image

2 Respostas to ““Angles”, The Strokes [2011]”

  1. Camila said

    Atingir o impacto de Is this it é uma coisa impossível. Quem se decepcionou é pq esperava uma cópia do álbum de 2001. Não tem nada do gabarito do 1º cd, mas nem por isso o disco é ruim, pelo contrário.
    Vida longa aos Strokes!

    • Impossível não direi, é sempre possível melhorar obras-primas, mas nunca se pode estar a espera disso, é verdade. O disco é bom, é…

      Obrigado pela visita e pelo comentário🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: