The Warm Coffee

O derradeiro guia de música e videojogos

“The Fame Monster”, Lady Gaga [2009]

Posted by César Costa em 28/03/2010

http://somosoqueouvimos.files.wordpress.com/2010/09/lady-gaga-the-fame-monster.jpgData de lançamento: 18 de Novembro de 2009

Género: Dance, Electropop

Duração: 34 min.

Gravadora: Interscope

Produtores: Darkchild, Fernando Garibay, RedOne, Ron Fair, Space Cowboy, Teddy Riley

Reconheço não ser o maior fã de Gaga, mas por qualquer razão atirei-me de cabeça a este álbum. E devo dizer que recebi uma bela surpresa. A verdade é que este “The Fame Monster” consegue ser um álbum pop sem vergonha, e ter por detrás um conceito bem definido.

A originalidade de Gaga é bem notável, e apesar de o tema do álbum ser quase sempre o mesmo, o lado negativo da fama, a monotonia é algo que neste disco não tem lugar. Desde “Bad Romance” até ao fecho com “Teeth”, o disco usufrui de uma regularidade invejável por estes dias.

Os pontos altos do trabalho são na minha opinião, e sem qualquer dúvida, “Speechless” e “Telephone”, duas das melhores músicas já gravadas por LG. O resto também anda lá perto, e apenas “Alejandro” consegue destacar-se pela negativa. Tenta ser uma “La Isla Bonita” de 2009, mas acaba por ser quase uma paródia a “Fernando” dos ABBA, o que não é propriamente bom… E o que interessa é que tirando este percalço o álbum respira qualidade. Não há nada aqui de perfeito, nem de extraordinário, nem muito menos inovador, mas o som do álbum não poderia ser mais fresco, e é num todo um bom álbum. A curta duração do mesmo é invulgar hoje em dia, mas aqui é um factor favorável a “The Fame Monster”.

A excentricidade de Gaga está espalhada por todo o álbum, e ainda mais pelos vídeos que o suportam. Quer seja nas letras ou na moda, Gaga é no mínimo diferente, e hoje em dia ser diferente é muito bom.

Recapitulando, os pontos fortes são “Speechless” e “Telephone”, e ainda não compreendo como “Speechless” possa ter sido apontada como o ponto fraco do álbum por muitos críticos… É na minha opinião um dos seus trunfos. Soa fora de época, certo, mas não deixa de ter qualidade. Aliás, o disco chega em alturas a parecer um apanhado de tudo o que se fez na última década, mas Gaga acrescenta o seu toque esquisito. Há claro outros motivos de interesse, como “So Happy I Could Die”, que tem um som delicioso, ainda que familiar, ou até “Dance In The Dark”, mas estar a destacar muitas faixas num álbum pequeno não faz muito sentido. É um todo que funciona assim, mesmo tendo as suas 2 faixas de destaque já mencionadas.

Aconselho a qualquer fã de música Dance ou Electropop que queira uma meia horinha bem passada.

1. Bad Romance 4:55
2. Alejandro 4:34
3. “Monster” 4:09
4. Speechless 4:30
5. “Dance in the Dark” 4:48
6. Telephone” (featuring Beyoncé) 3:40
7. “So Happy I Could Die” 3:55
8. “Teeth” 3:40

Download

Uma resposta to ““The Fame Monster”, Lady Gaga [2009]”

  1. Tiago Daniel Moreira Santos said

    Há quem diga que não seja realmente uma “lady” mas sim um “lord”. Apesar disso há que admitir que possui músicas de qualidade.

    Saudações de Valongo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: