The Warm Coffee

O derradeiro guia de música e videojogos

Splinter Cell: Pandora Tomorrow (PS2/Xbox/PC/GC)

Posted by César Costa em 30/07/2009

Género: Stealth Action

Editoras: Ubisoft Shangai, Ubisoft Annecy

Distribuidora: Ubisoft

Plataforma: (PS2/Xbox/PC/GC)

Data de Lançamento: 2004

Desta vez serei breve. O jogo já tem 5 anos, e não me parece que haja muita gente a jogá-lo a não ser eu. Mas por pertencer a uma das séries de jogos de que mais gosto, decidi analisá-lo.

O jogo conta história do agente secreto Sam Fisher, que trabalha para uma organização que no decorrer do jogo tem como objectivo impedir que um bando de terroristas, encabeçado por Suhadi Sadono, espalhe um vírus mortal. Vai dá que o nosso Sam tem de practicamente jogar às escondidas para passar pelos inúmeros inimigos que aparecem no decorrer do jogo.

O enredo em si não é nada fácil de seguir, principalmente se não se perceber inglês, e mesmo assim só se apanha o básico, pois não há legendas nem algo que se pareça. Confesso que eu próprio, que percebo inglês, tive dificuldade em seguir o enredo. Mas adiante…

Em termos de gráficos, as coisa mudam de versão para versão, sendo aqui a versão PS2 a mais prejudicada, muito por culpa de ter um hardware inferior às outras plataformas. As texturas são razoáveis, os modelos das personagens são medianos, e os cenários são bons. Nada de mau, mas na versão PS2 o grafismo sofre um pouco.

Em termos de jogabilidade, apesar de ao princípio parecer um pouco complicado, o esquema de botões é intuitivo, e os controlos respondem na perfeição. Nota apenas para a IA que deixa um pouco a desejar, já que mesmo que estejamos a 1 m do inimigo, se estivermos no escuro ele nao vê nada, a menos que tropece em nós. A dificuldade das missões é sempre a mesma, e o método que se requere para avançar no jogo é o de tentativa e erro, já que as ameaças são sempre as mesmas, estão sempre nos mesmo sítios, e geralmente um problema tem sempre apenas uma solução. O que não agrada muito neste tipo de jogos… No entanto, o brilho do jogo está na jogabilidade, já que é altamente compensador chegar ao fim do nível sem ter soado nenhum alarme, e é simplesmente espectacular cumprir objectivos usando todos aqueles gadgets de que Sam dispõe, e sobretudo, é viciante passar o jogo de uma forma sorrateira.

Quanto ao som, o barulho das armas poderia estar melhor, o som de fundo dos cenários está melhor, e as músiquinhas de suspense estão ainda melhores. O que poderia estar melhor é tambem a dobragem dos actores, à excepção de Michael Ironside (voz de Sam).

Tendo em conta que são muitas as vezes que se perde, e se volta a tentar, o jogo pode durar cerca de 10 a 13 horas, o que já não é mau…

No final do dia, Splinter Cell: Pandora Tomorrow é um belíssimo jogo, capaz de competir com Metal Gear, por muito que os ‘die-hard’ fãs de Kojima tentem contra-argumentar. Recomendo a quem esteja familiarizado com jogos stealth, ou a qualquer outra pessoa que na sua infância gostava de jogar às escondidas.

Classificação final:4.0

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: